Condições sociohabitacionais na RMSP recente: novos desafios à clivagem centro-periferia

Persiste na literatura sobre as condições sociais metropolitanas paulistanas, assim como no senso comum, o entendimento de que a oposição centro-periferia é a única expressão de clivagem (“ricos–pobres”, “presença–ausência de políticas”) na região. Inspirado por autores que evidenciaram a presença de heterogeneidades em ambos estes “polos”, o presente artigo tipifica diferentes grupos sociohabitacionais na metrópole ao fim da década mais recente, utilizando dados dos Censos 2000 e 2010 para o universo da população da RMSP. O comportamento destes grupos é exemplar da superposição de subdinâmicas (à macro dinâmica centro-periferia): “leste-oeste”, “classes médias e seus satélites” e “super-ricos em entornos pobres”, por exemplo. Tais subdinâmicas indicam a expansão de pontos de micro-segregação, em contraposição à tradicional macro-segregação paulistana, e persistem mesmo diante de melhorias importantes ocorridas na década, como os aumentos na proporção de alfabetizados e de domicílios ligados à rede de esgotos.

 Artigo completo em: http://www.fflch.usp.br/centrodametropole/upload/aaa/176-sd_2013_mesa_5.3_carolina_requena.pdf

Anúncios