A política das linhas de ônibus

O artigo procura apresentar um campo de análise ainda inexplorado pelas análises especializadas no tema das políticas públicas de transporte: o campo da formação das linhas de ônibus. Com base na reconstrução histórica das políticas em São Paulo e em entrevistas em profundidade, é defendida a hipótese de pesquisa no qual o conjunto de linhas de ônibus da cidade foi produto principalmente da ação não – estatal, na figura dos empresários de ônibus. Um conjunto grande de atores com interesses individuais e desarticulados pelo espaço da cidade produziu ao longo da segunda metade do século XX um conjunto de linhas considerado hoje ineficiente pelos técnicos. Para subsidiar este argumento é realizada uma análise institucional detalhada, onde é também defendido o argumento de que o desenho das linhas de ônibus é produto de decisões políticas e não técnicas.

Artigo completo em:

http://www.fflch.usp.br/centrodametropole/upload/aaa/707-SD_2014_Lopes_%20181-524-1-PB.pdf