O projeto

                                                       Click here for an English version

Este grupo de pesquisa analisa comparativamente padrões de governança em políticas públicas urbanas. A investigação se insere em um esforço de comparação internacional que inclui as cidades de São Paulo, Paris, Londres, Cidade do México e Milão, desenvolvidas por equipes do Centro de Estudos da Metrópole (CEM), da Sciences Po Paris, da Bartlett School da University College London, do Colégio de México e da Universidade de Milão Biccoca. A investigação relativa à metrópole paulistana é desenvolvida no Centro de Estudos da Metrópole (CEM) e conta com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A ideia da pesquisa não é comparar políticas, mas os padrões de governança que as estruturam em cada setor e cidade. Por padrões de governança entendemos os conjuntos de atores Estatais e não Estatais ligados por vínculos formais e informais, legais e ilegais cercados por instituições específicas e influenciados por legados de políticas prévias. Não esperamos encontrar padrões únicos e coerentes em cada uma das cidades (nem entre elas), mas padrões diversos por área de política. A questão envolve uma longa tradição dentro da ciência política, mas nosso objetivo é ir além da questão clássica de “quem governa?” e investigar “quem governa o quê?” (e “como?”), bem como “quem governa o que Estado não governa?”. A compreensão da variedade dos arranjos de atores e configurações institucionais e relacionais nos informa sobre a produção do Estado em várias conjunturas específicas, conectando a análise das políticas públicas com a investigação da política urbana.

Em sentido mais geral, o projeto contribui para a construção de um campo de estudos sobre a política do urbano, e não apenas no urbano. A ciência política e os estudos urbanos têm se desenvolvido de forma quase completamente apartada no Brasil. Como consequência, enquanto a primeira pouco se interessa pela cidade, a segunda tende a tratar a política como epifenômeno de processos ocorridos na sociedade. Partimos do princípio que apenas a realização de um conjunto de análises postadas entre os dois campos permitirá uma melhor compreensão da política da cidade.

A pesquisa trabalha com a saturação dos estudos de caso, permitindo uma combinação entre o conhecimento de detalhe de cada política e cidade com a generalização de médio alcance entre os vários casos. Os estudos tentam dar conta simultaneamente das políticas desenvolvidas e da política que as cerca, conectando essas duas dimensões que são usualmente tratadas por literaturas dissociadas.

O Centro de Estudos da Metrópole disponibiliza gratuitamente as bases de dados e bases cartográficas utilizadas nesse projeto. Confira aqui.

Anúncios